saiba mais continuar O site ST - Sérgio Tomás faz uso de Cookies de modo a que possa ter a melhor experiência de utilização de todas as suas funcionalidades, não recolhendo informação pessoal. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Código de conduta

É nosso objectivo oferecer e prestar um serviço de qualidade aos nossos Clientes, através de um relacionamento cuidado e da garantia do cumprimento das todas regras de higiene e segurança alimentar vigentes para o sector.

Dai que, cumprir a nossa missão, tem a ver com a forma como actuamos enquanto empresa e enquanto pessoas, como pensamos e trabalhamos com os nossos Clientes, parceiros de negócio, fornecedores e outras entidades.

Por todos estes motivos, consideramos importante a existência de um conjunto de princípios éticos, com os quais nos devemos identificar.

A sistematização destes princípios foi efectuada através da criação do presente Código de Conduta, que integra um conjunto de regras , com vista à orientação da nossa actividade e que se aplicam aos Colaboradores da Garrafeira da Várzea adiante designado por Garrafeira. . Por Colaboradores devem considerar-se os Sócios Gerentes e restantes trabalhadores.

É importante que todos os envolvidos compreendam, respeitem e actuem em conformidade com os princípios consagrados no presente Código de Conduta, devendo rever-se na sua filosofia, promover a sua difusão, e ser um exemplo real da sua prática.

E ASSIM, OS NOSSOS PRINCÍPIOS

Integridade.

Todos os Colaboradores têm de pautar o seu comportamento pela absoluta honestidade e actuar eticamente com os diferentes interlocutores: clientes, parceiros de negócio, fornecedores, e outras entidades com quem se relacionem. A integridade é uma postura que tem que ir para além da lei e não permite práticas consideradas imorais. Nenhum trabalhador pode oferecer ou receber, qualquer produto ou pagamento que possa ser entendido como um suborno.

Respeito pela lei e pelos direitos humanos.

É dever da Empresa e dos Colaboradores zelarem pelo estrito cumprimento da lei. A Garrafeira reconhece que os direitos humanos são considerados fundamentais e universais, com base nas legislação e práticas aceites internacionalmente. Neste contexto, deve assegurar o respeito pelos interesses individuais e pela diversidade, não actuando de forma discriminatória com base na razão, nacionalidade, idade, religião, sexo, estado civil, deficiência física, convicções políticas ou ideológicas.

Melhoria contínua e desenvolvimento do capital humano.

A Garrafeira garante, aos seus Colaboradores, os direitos fundamentais de saúde, higiene e segurança no trabalho, e respeita o equilíbrio entre a sua vida profissional e pessoal. Garante ainda, que a evolução profissional se processe com base em critérios como a competência profissional, qualificação, dedicação e integridade. Os Colaboradores devem procurar, de forma proactiva, aperfeiçoar e actualizar os seus conhecimentos, tendo em vista a manutenção e melhoria continua das suas competências profissionais.

Conflito de interesses.

Os Colaboradores têm o dever de lealdade para com a Empresa. Um conflito de interesses pode surgir quando, individualmente, se sobrepôem os interesses pessoais aos interesses da Garrafeira , coibindo a objectividade de uma análise imparcial das situações. A posição que cada um ocupa na Empresa, nunca deve ser usada em proveito pessoal. Sempre que um Colaborador tenha que intervir em processos de decisão que envolvam de forma directa ou indirecta pessoas com quem tem ou tenha tido relação de parentesco, ou afinidade, ou com entidades com quem tenha colaborado, deverão comunicar ao responsável hierárquico a existência dessa situação.

Confidencialidade.

Todos os Colaboradores estão sujeitos ao dever de sigilo profissional. O acesso a informação reservada deve ser gerida de forma adequada, preservando a confidencialidade de assuntos considerados críticos. O uso dessa informação deve ser efectuada apenas para fins exclusivos de trabalho, no âmbito da actividade desenvolvida e de forma apropriada.

Selecção de parceiros e Fornecedores

A Garrafeira empenhar-se-á, sempre, em seleccionar parceiros de negócio e fornecedores, que partilhem os mesmos princípios éticos, defendidos no presente Código. A selecção de fornecedores ou prestadores de serviços, não deve ser efectuada apenas com base em indicadores económico-financeiros ou na qualidade dos produtos e serviços, deverão ser tido em linha de conta o comportamento ético e as práticas apercebidas, das empresas a contratar.

Relação com os Clientes.

A Garrafeira garante aos seus Clientes um atendimento digno e empenhado, cumprindo com todas as regras de Higiene e Segurança Alimentar, definidas para o Setor.

Factos ilícitos.

Qualquer Colaborador que tenha conhecimento, ou suspeite, da prática de actos que contrariem os princípios consagrados no Código de Conduta, tem a obrigação de os denunciar, para que se proceda a investigação dos factos.

Divulgação do Código.

É da responsabilidade dos gestores da Empresa garantirem a divulgação do Código de Conduta, junto dos Colaboradores. Deverão também estar disponível no Site da Garrafeira, para suporte de informação aos clientes, parceiros de negócio, fornecedores e outras entidades com quem a empresa se relacione.